segunda-feira, 6 de outubro de 2008

.:*Poesia para uma segunda-feira cinza*:.


hoje não saí pra buscar flores
está chovendo lá fora
e aqui dentro faz muito frio

tento sempre dar o melhor de mim
me doar por inteiro
ser mais por alguém

mas parece que sempre, sempre
faço tudo errado
e destruo tudo que toco

chega a ser insuportável
essa coisa que sufoca
que corrói o peito
sentimentos misturados
díspares – complexos – opostos

e além de tudo, o medo
de me perder
de não mais encontrar
já nem sei mais pra onde olhar

sinto-me um monstro inominado
que vaga sozinho à procura de abrigo
ou talvez seja uma lagarta sofrendo
pra se transformar em borboleta

5 comentários:

Mari disse...

CASULO

"Viver em silêncio. Doce silêncio.
Ruído nenhum. Nem luz, nem sombra.
Só a brisa do tempo.
Olhos fechados, assim como o corpo.
Silêncio sem movimento.
Sem fome, sem sede. Sem ninguém que abale meu terno silêncio.
Doce silêncio, doce sono, só sonhos...
Sonhos de um sono só.
Sozinha em minha cama, eu: pós lagarta, pré borboleta."

-Pam Orbacam-

NonsenseTele disse...

Hummmm lagarta??? hummmm
Cuidado, alguns chineses podem se interessar...
Particularmente eu gosto de explodi-las ou queima-las...

Mas não concordo mto não com a idéia, diria que, apesar de vc ser uma negra fada, vc não alopra tanto assim a vida alheia... apesar de a forma como escreveu ficou bem bonita...

Carol disse...

Mariii...

Que linda essa poesia!

Hoje vc nem ficou no msn...me abandonou! =/

Parabéns pelo blog, tá fazendo sucesooo hein!

beijos

Mari disse...

Tele: eu nem vou comentar quanto ao "fada negra"! ¬¬

Carol: num deu tempo de olhar pro PC neste dia... =/

E obrigada aos elogios!
=D

Pam Orbacam disse...

Oba!
Poesia de minha autoria em comentário! Gostei.
Pam Orbacam
http://www.pampoeta.blogspot.com